sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Juiz eleitoral do Brejo da Madre de Deus concede entrevista ao Blog Estação Notícias

O juiz Elias Soares falou sobre as mudanças nas regras da eleição, agilidade nos trabalhos, fiscalização, entre outros assuntos.

Os candidatos estão tendo que se adaptarem as várias mudanças que entraram em vigor nesta Eleição 2016. Para o juiz eleitoral do Brejo da Madre de Deus, Elias Soares da Silva, a diminuição dos dias de campanha, a proibição das pinturas em muros, a padronização do tamanho do banner e do adesivo no carro, alteração do tempo do guia eleitoral, entre outros, contribuem para uma eleição mais equilibrada.

A ideia é tentar acabar com a bagunça, a sujeira, e dar uma melhor condição de fazer uma campanha mais igual e mais justa. Com as mudanças nas regras da eleição, o candidato terá que mostrar suas propostas, suas qualidades e virtudes, do que propriamente mostrar seu poder econômico através da campanha”, explica o juiz.

A cada eleição que passa a Justiça Eleitoral vai ajustando as regras e os candidatos precisam estar atentos às mudanças para não sofrerem sérias consequências.

“Com o tempo o TSE vai percebendo o que é nocivo para o pleito eleitoral e vai tirando essas coisas nocivas, dizendo o que pode e o que não pode. Essas resoluções tem que ser livro de cabeceira dos candidatos, porque se eles não cumprirem, as multas são pesadas”, advertiu.

Questionado sobre a maneira de atuar nas eleições, o juiz pontuou a agilidade nos trabalhos.

“Costumo fazer com rapidez o trabalho da Justiça Eleitoral e procuro sempre dar uma resposta imediata. Porque às vezes, a falta de ação do poder judiciário pode permitir que as pessoas façam as coisas que não podem ser feitas. Então, a resposta do judiciário vai ser sempre imediata e dura quando tiver que ser dura”, destacou.

O juiz eleitoral Elias Soares não reside em Brejo da Madre de Deus, ele trabalha em Caruaru, e apesar de morar em outra comarca, garante que a Justiça Eleitoral aqui em Brejo vai fiscalizar e nada vai correr frouxo.

“Eu sempre fui para as ruas fiscalizar, eu sempre faço isso nas eleições, muitas vezes com a polícia apreendemos material, o Ministério Público também foi pra rua e fez o mesmo. Nesta Eleição vamos fazer um trabalho que as pessoas irão perceber que as coisas não vão correr frouxas. Vamos fazer o que tem que ser feito, vamos cumprir a nossa missão e espero que as pessoas que estão envolvidas no processo eleitoral entendam o que tem que fazer e cumpram o papel delas”, frisou.

Aos eleitores do Brejo da Madre de Deus o juiz alertou sobre a compra de voto e pediu consciência sobre a escolha de seus representantes.

“Gostaria de lembrar que a eleição é a principal festa da democracia. O eleitor deve entender que ele estará elegendo seus representantes para o período de 4 anos, e que durante estes 4 anos, bem ou mal, esses eleitos irão representá-los. Então, que tenham a consciência como cidadão de que a eleição não pode ser vencida por quem compra o voto. Comprar o voto as vezes não é só com dinheiro, é também dar uma ajuda pra construção, é favorecer de alguma maneira. Temos que parar com essa cultura que ainda existe nas cidades de interior, onde muita gente vota por que ganhou isso ou aquilo. O povo tem que aprender a votar pelas ideias, pelo que é melhor para o município e a sociedade. Não por que o cara é melhor pra ele, ou um dia o ajudou de alguma maneira. O cidadão não pode só pensar nele, tem que pensar na comunidade como um todo”, finalizou.

Do Estação Notícias

Nenhum comentário:

Postar um comentário