quinta-feira, 16 de junho de 2016

Bastidores da política brejense começa a esquentar. Serão Nildo do banco e Robertinho os candidatos a prefeito do Brejo? E Santos, vinga?

Continua todo mundo escondendo o jogo para a eleição deste ano em Brejo da Madre de Deus. Existem muitas indefinições ainda nos principais grupos políticos e também no grupo que pretende se formar.

O clima começou a esquentar nos bastidores da política brejense, mas não é devido às fogueiras no mês junino. A temperatura já começou a subir devido à aproximação das convenções, que poderão ser realizadas de 20 de julho a 05 de agosto.

O que se sabe até agora é que:

GRUPO BOCA PRETA: É uma bomba chiando! Estão todos aguardando o prefeito Dr. Edson anunciar o seu candidato. Várias reuniões foram realizadas, mas, o líder do grupo não deixou escapar nada. É de conhecimento de todos que já são pré-candidatos os vereadores Josevaldo Aguiar (PRB), Vagner Assunção “Bolão” (PP), Hilário Paulo (PSD) e o empresário Rubinho Nunes (PCdoB).

A novidade até então, é que surgiram novos nomes que podem ser apresentados por Dr. Edson. Já se comenta os nomes dos ex-secretários Graça Rosal e Silvio Romero, e também o nome do brejense Nildo do Banco, que sempre trabalhou nas campanhas do grupo boca preta. Nildo filiou-se ao PTB (partido que está no comando do prefeito) no apagar das luzes e deixou muita gente de orelha em pé no grupo azul.

O desconforto por parte de alguns integrantes do grupo boca preta é grande demais. Prova disso, foi à atitude do vereador Josevaldo, que saiu do PTB e migrou para o PRB, deixando para trás longos anos de história no partido, mas se não o tivesse tomado esta decisão, ficaria amarrado ao líder. Com esta atitude os comentários é que Josevaldo “botou o pé na goela do prefeito”.

A verdade é que o G4, grupo composto por pelos vereadores Josevaldo, Hilário, Bolão e Maria José do Tambor, não aceitam outro nome que não seja de um dos integrantes deste seleto grupo. Os comentários de correligionários é que se o prefeito apresentar um candidato que não seja do G4, Josevaldo e Bolão também saem candidatos a prefeito e vice.

SERÁ QUE SANTOS VAI VINGAR?: Faz tempo que Santos de Josa (PV) está fora do grupo boca preta. Ele é outro político brejense que lançou sua pré-candidatura e afirma que será candidato de todo jeito. Mas como em 2008 abriu da parada, ainda existe a desconfiança da população. Santos vai ter que mostrar que não é fogo de palha e que não fará nenhuma aliança política que venha desestruturar o seu projeto. O pré-candidato a vice na chapa de Santos é o ex-prefeito Israel Cordeiro de Almeida (PV). Mas o próprio Santos, afirma que seu futuro candidato a vice pode ser outro, vai depender das alianças que possam acontecer para fortalecer a sua pré-candidatura. O certo mesmo até agora, é que o PV já marcou a convenção para o dia 5 de agosto na Câmara Municipal de Vereadores.

NO GRUPO JACARÉ: O rolo é grande para resolver. Muitos acreditam que Roberto Asfora (PSDB) irá disputar a próxima eleição. E também muitos acreditam que não. É possível ver nos bastidores os jacarés contentes, porque as contas de Roberto Asfora do exercício de 2008 foram aprovadas pela câmara na semana passada. Mas também é visto os oponentes do Amarelinho de Ouro comemorando as contas de Roberto Asfora do ano de 2007, que foram rejeitadas pela Câmara Municipal de Vereadores, que seguiu na época o parecer do Tribunal de Contas do Estado (TCE), que foi pela rejeição. Roberto recorreu na primeira e na segunda instância, mas as apelações foram negadas e a decisão de primeiro grau foi mantida. Outra bronca é que o político responde a um processo por suposta falsidade ideológica. A Justiça Federal inclusive já confirmou a sentença de primeiro grau.

Diante desses fatos, os comentários na cidade é que Roberto Asfora, mesmo correndo o risco de ser barrado na Lei da Ficha Limpa, deve ser o candidato a prefeito do grupo de oposição. E se a sua candidatura for impugnada, o primeiro nome para substituí-lo é o do seu filho e vereador Robertinho Asfora (PSB), pois tem o mesmo nome do pai (Roberto Asfora “Filho”), e assim, teoricamente, o prejuízo seria amenizado. Outros nomes que se comentam como plano B de Roberto é o da sua esposa dona Mônica Asfora e também do seu irmão Cláudio Asfora.

Outra questão que causa medo nos jacarés, é que mesmo orientado a sair do no partido PSDB, Roberto permaneceu. O possível problema é que o atual ministro Bruno Araújo (PSDB), que já foi presidente estadual da sigla e tem grandes influências, puxou o tapete de Dr. Edson no ano 2000 a pedido do então prefeito Zé Inácio. O medo agora é que Bruno trabalhe nos bastidores para inviabilizar a candidatura de Roberto pelo PSDB. Esse risco existe. E vale lembrar que Bruno recentemente “ferrou” Roberto, pois estando eles no mesmo partido, Bruno trabalhou forte para o retorno de Dr. Edson após o mesmo ser cassado e Roberto ter vencido a eleição suplementar. O final desta história recente nós já sabemos, pois Bruno conseguiu retirar Roberto e reconduziu o Dr. Edson a prefeitura.

Segundo informações, Roberto quase foi para o partido PR que é do seu deputado federal Anderson Ferreira. Outras informações dão conta de que Roberto também teria ficado balançado para ir para o PSB,  só que teria "cochilado no ponto" e perdido o prazo estabelecido pelo TSE para a mudança.

Como podemos perceber, na eleição que se aproxima, é mais fácil acontecer tudo do que não acontece nada.

Encerramos esta matéria deixamos o espaço aberto para qualquer pré-candidato se manifestar. E lembramos que o compromisso do Blog Estação Notícias é com a população brejense que precisa saber a verdade sobre nossos futuros representantes.

Do Estação Notícias

Nenhum comentário:

Postar um comentário