sábado, 15 de setembro de 2018

Em Caruaru: Moradores do Riachão fizeram protesto pedindo a soltura do homem que foi preso acusado de ter estuprado o filho de 3 meses

Imagens de uma câmera de monitoramento pode desmentir a versão da mãe da criança

Imagens de uma câmera de monitoramento pode desmentir a versão da mãe da criança
Aproximadamente 100 moradores do bairro Riachão em Caruaru, fizeram um protesto na noite desta sexta-feira (14), pedindo a soltura do José Ferreira de Lima, de 39 anos, que foi preso na noite da última terça-feira (11), acusado de ter estuprado o filhinho de apenas três meses. José foi preso porque a esposa que é muda-surda foi a Policlínica do Salgado com o filho que apresentava sangramento no ânus, e ao ser questionada, ela afirmou que o esposo chegou em casa e ficou com o bebê enquanto ela tomava banho, e quando saiu do banheiro encontrou o filhinho aos prantos, e ao verificar a fralda viu o sangramento no ânus e a lesão foi contatada na policlínica.
A moradora do bairro, Patrícia, disse que os moradores conseguiram as filmagens de um estabelecimento comercial, onde mora uma cabeleireira, que teria ido a policlínica com a mãe e o bebê e que foi ao plantão policial e se apresentou como interprete de LIBRAS – Língua Brasileira de Sinais. Nas imagens é possível ver que a mãe chega à casa da amiga no final da tarde, em momento algum ela volta pra casa, e 45 minutos depois o Samu é acionado, vindo a prestar atendimento a criança na casa da manicure, que depois da prisão do José Ferreira, a mesma não voltou pra casa.

Os moradores alegaram ainda que a manucure foi presa há alguns anos após forjar o próprio sequestro e a mãe do bebê estaria tendo um relacionamento extra-conjugal. Os moradores acreditam que se o bebê realmente foi estuprado, isso ocorreu dentro da casa da cabeleireira.
Do Estação Notícias / Adielson Galvão

Nenhum comentário:

Postar um comentário