sexta-feira, 6 de abril de 2018

Brejense Maninho, ex-vereador de Diadema, se envolve em confusão no Instituto Lula. Manifestante ficou gravemente ferido


Com exclusividade Maninho falou com o Estação Notícias e TV sobre o caso

Logo após o juiz federal Sérgio Moro ter decretado a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), no início da noite da quinta-feira (05), militantes e simpatizantes do Partido dos Trabalhadores se concentraram em frente ao Instituto Lula para prestar apoio ao ex-presidente.

Quem apareceu por lá para dar um abraço em Lula e prestar solidariedade, foi o brejense Manoel Eduardo Marinho, o Maninho, que é ex-vereador em Diadema e foi candidato a prefeito da cidade nas eleições de 2016.

Além de militantes do PT, alguns manifestantes também compareceram nas proximidades do Instituto Lula, e houve bate boca, xingamentos e agressões, sendo que um dos manifestantes conseguiu tirar Maninho do sério. O empresário Carlos Alberto Betone de 57 anos foi agredido e ficou gravemente ferido, após ter sido empurrado na lateral de um caminhão que passava pelo local. O homem teve traumatismo craniano e passou por cirurgia no Hospital São Camilo na Zona Sul de São Paulo.

A Secretaria de Segurança Pública de São Paulo informou que a Polícia Civil, através do 17º Distrito Policial (Ipiranga) instaurou inquérito policial para investigar o caso. Os envolvidos na agressão foram identificados, e tem o prazo de 72 horas para se entregarem a polícia.
Maninho foi entrevistado pelo jhornalista Atahanderson Mesquita em fevereiro de 2017, quando esteve em Brejo, visitando familiares e amigos

Na tarde desta sexta-feira (06), por telefone o jornalista Atahanderson Mesquita do Estação Notícias e TV falou com exclusividade com Maninho. Ele deu a sua versão sobre a confusão e disse que, apesar dos ânimos exaltados, defende e pratica a paz.

“Eu fui dar um abraço no amigo Lula e eu já estava de saída. O vídeo não mostra, mas o senhor Paulo que é ex-presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC estava caído e fui ajudá-lo para não permitir que ele fosse agredido, quando teve início a confusão”, explicou Maninho.

“Quero dizer ao povo do Brejo que o Brejo, sempre foi uma terra de gente pacífica e eu tenho este pensamento. Sou um cara de paz, não defendo a violência, sou contra a violência, mas esse é um conflito de classe e o momento é muito conturbado e sempre podem acontecer essas coisas. Eu lamento muito, mas podia ser pra um lado ou pro outro, igual numa partida de futebol”, falou Maninho.
Maninho também é ex-metalúrgico e foi um dos fundadores do Partido dos Trabalhadores. Ele o ex-presidente Lula são amigos de longas datas.

Por Atahanderson Mesquita - Estação Notícias e TV
(atualizada às 19h40min)

Nenhum comentário:

Postar um comentário