terça-feira, 6 de fevereiro de 2018

Prefeito Hilário Paulo ignora Lei de Responsabilidade Fiscal, chega a quase 80% de gasto com pessoal e pode ser punido com a perda do mandato

Hilário ultrapassa os gastos dos ex-prefeitos Dr. Edson e Roberto Asfora

Para um prefeito governar bem a cidade é preciso fazer o máximo para não ficar acima do limite estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), que é de 54% de gastos com a folha de pagamento com o pessoal. O gestor que extrapola este chamado “limite prudencial” se complica e o próprio prefeito pode ser punido até com a perda de mandato e também o município fica sujeito a penalidades, como, por exemplo, a proibição de celebrar convênios com os governos estadual e federal.

A coisa é muito grave, mas parece que em Brejo da Madre de Deus, no Agreste de Pernambuco, ninguém leva a sério a LRF, pois a mesma não vinha sendo cumprida pelos ex-prefeitos Dr. Edson e Roberto Asfora, e como mostra os recentes dados fornecidos no Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro (SINCOFI), do Tesouro Nacional, o atual prefeito Hilário Paulo está “dando a carga toda” e gastando muito além, chegando aos incríveis 79,75% com gasto da folha, de acordo com informações divulgadas pelo jornalista Ney Lima.

“O Brejo da Madre de Deus passa por situação mais delicada e ficou, durante todo o ano, acima do limite. Nos primeiros 4 meses estava com 68,15% comprometidos. No segundo quadrimestre foi para 69,96%, até fechar o ano comprometendo 79,75% da Receita Corrente Líquida do município com os funcionários”, publicou.

A administração do prefeito Hilário Paulo faz tempo que vem patinando, não consegue sair do canto, são muitas as reclamações com salários atrasados, obras paralisadas, falta de medicamentos, aumento da criminalidade, e agora, vem esta lamentável informação de que o município está muito acima da Lei de Responsabilidade Fiscal.

Com a chegada do fim do ano e consequentemente o cinto apertando, houveram informações de que o prefeito estaria demitindo 500 funcionários para tentar equilibrar a folha. Com a virada de ano, foram muitas as conversas de que a administração de Hilário Paulo seria outra totalmente diferentemente a do seu primeiro ano de governo, porém, as contas ao invés de diminuírem aumentaram e visivelmente se percebe que o prefeito está em numa areia movediça afundando um pouco mais a cada mês que passa.

O que o brejense mais deseja no momento é que o prefeito acerte, faça ajustes na máquina pública, seja prudente e faça o município voltar à normalidade. É preciso que o chefe do executivo municipal  tenha consciência que, se o mesmo tiver o mandato cassado, devido a irresponsabilidades, não só afunda sua carreira política, como também acaba de vez com o Brejo, cidade que ainda sente os malditos efeitos de cassação e reviravolta de prefeitos anteriores, que só fizeram prejudicar todo o município.

Acorda prefeito enquanto é tempo! Salve a sua cabeça e não deixe que mais uma vez os brejenses paguem pelos erros dos nossos governantes!

Do Estação Notícias

Nenhum comentário:

Postar um comentário