quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

Sindibrejo em defesa dos inativos

É do conhecimento de todos a grave crise financeira vivida pelos servidores inativos do Brejo da Madre de Deus, em razão da falta de pagamento/atraso dos seus proventos.

Dita situação começou a se instalar no Órgão Previdenciário local, o IPRESB há mais de anos, por conta da falta do repasse mensal relativo à contribuição patronal e descontos efetuados na folha de pagamento de cada servidor ativo, tomando proporções imensuráveis ao final do ano passado quando o gestor municipal da época, Dr. Edson Sousa, ao término do seu mandato, deixou de efetuar o pagamento dos meses de novembro e dezembro/2016, além do 13º salário dos citados servidores.

O prefeito atual, Hilário Paulo, diante da gravidade do problema, com muita responsabilidade e compromisso liquidou o débito em atraso, atualizando a folha de pagamento, além de promover um parcelamento para pagamento das verbas não repassadas no tempo certo.
No entanto, para surpresa geral, os desagradáveis fatos acontecidos ao final da gestão anterior voltaram a se repetir nesses últimos meses, com constantes atrasos na folha de pagamento.

Requisitada a se pronunciar sobre os fatos a administração municipal, não tem uma data fixa para o pagamento dos inativos e silencia a respeito.
O SINDIBREJO, no seu legítimo mister de defender os interesses dos servidores municipais, tanto ativos, como inativos, diante da aflição vivida por aqueles que dedicaram toda uma vida em benefício desse município, depois de idas e vindas na procura de uma solução amigável para o caso, convocou uma assembleia extraordinária na qual ouviu-se o relato de pessoas quase em lágrimas que não conseguem pagar seus compromissos, que perderam o seu crédito no comércio, e, até mesmo, que não conseguem fazer uma feira.

Uma desculpa qualquer, uma explicação, nada, apenas informações desencontradas de alguns servidores.

Não se concebe que o ISPREB que possui a legitimidade para cuidar dos interesses previdenciários de todos os servidores públicos desse município, recebendo aportes financeiros mensais contínuos, não possua em seus cofres verbas suficientes para o pagamento dessa classe de servidores tão sofrida.

E não podemos ter como desculpa a dificuldade financeira vivida pelo país, isto porque, os aportes financeiros que são repassados ao citado Órgão Previdenciário, sob a rubrica de contribuições previdenciárias, independem da boa vontade do Governo Federal ou de qualquer outro ente administrativo, pois são exclusivamente deduzidos da folha de pagamento de cada servidor do município, a título de descontos previdenciários obrigatórios, além da devida e constitucional verba relativa contribuição patronal.
Hoje os inativos ainda não receberam o mês referente a novembro, também o décimo terceiro salário que legalmente a data é neste dia 20 e já se aproxima o vencimento do mês de dezembro. Em contato com o prefeito, o mesmo informou ao sindicato que estará efetuando o pagamento do mês de novembro neste dia 20 e que não tem data exata para o pagamento do décimo terceiro salário. 

O SINDIBREJO, ante o caos social apresentado, teve amparo junto ao Ministério Público local, que, na pessoa do Dr. Promotor Antonio Rolemberg Feitosa, de pronto atendeu às reivindicações apresentadas oficiando ao IPRESB solicitando informações a respeito do fato.

Assim continuará o SINDIBREJO.

Lutando, defendendo e protegendo os interesses de cada servidor desse município, seja ele ativo ou inativo.

Do Estação Notícias

Nenhum comentário:

Postar um comentário