sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Vítimas de Santa Cruz do Capibaribe que foram assaltadas em Panelas contaram detalhes do assalto que sofreram, resultando na morte de um dos ocupantes do carro

Na noite da quarta-feira (02), o empresário, José Cristóvão da Silva, de 27 anos, que mora em Santa Cruz do Capibaribe, estava voltando de Quipapá, onde possuía uma loja de materiais de academia. Ele guiava o seu veículo, uma picape Ranger branca, e estava acompanhado dos dois funcionários, Eliandro José de Oliveira, de 35 anos e Carlos Alberto de Moura, de 21 anos.

Cristóvão disse que a loja de Quipapá funcionou por alguns meses, mas como não deu certo, fechou o comércio chamou os seus dois funcionários para irem com ele buscar a mercadoria e os manequins, mas quando estavam retornando, percebeu que estava sendo seguido por elementos em um veículo modelo sedan escuro. Trafegavam pela BR 104 e na ladeira depois dos postos de combustíveis da entrada de Cupira, os elementos emparelharam o veículo na picape que estava carregada e atiraram, obrigando o motorista a parar o carro.
Daí dois deles entraram no carro, fizeram meia volta, um ia dirigindo a picape, enquanto que o outro que estava armado espancou as vítimas com várias coronhadas, mais adiante exigiu que as vítima lhe entregassem os pertences, como carteiras e celulares e como o Carlos disse que não estava com o seu celular, o meliante mandou o mesmo abrir a boca e efetuou um disparo e o rapaz caiu desacordado. Nisso o comparsa que guiava o carro procurou uma estrada carroçável próximo ao Sítio Limeira, já na zona rural de Panelas, onde mandaram que o Cristóvão e o Eliandro saíssem do carro e retirassem o amigo desacordado, feito isso, eles se evadiram levando a picape do comerciante. O carro foi localizado manhã da quinta-feira (03) na zona rural de Cupira.

Cristóvão informou que havia algumas casas próximo e ele e o Eliandro foram pedir socorro. Passados alguns minutos chegou uma viatura da Polícia Militar, constatou que o Carlos estava morto e socorreu os outros dois, que foram levados ao hospital de Panelas.

O comerciante ainda falou que diante da dificuldade implorou que a ambulância do hospital os levasse a UPA de Santa Cruz do Capibaribe e teve o seu pedido aceito, depois de receberem atendimento médico procuraram a família do Carlos para informar que ele teria sido morto no assalto. Ele ressaltou que o jovem era um bom rapaz e já trabalhava com ele há quatro anos, enquanto que o Eliandro trabalha na sua empresa há um ano e oito meses.


Do Estação Notícias / Adielson Galvão / Imagens WhatsApp

Nenhum comentário:

Postar um comentário