quarta-feira, 26 de julho de 2017

Adolescente de 14 anos foi brutalmente assassinada em Caruaru. Ex-namorado da vítima é acusado de ter cometido o crime foi apreendido

Foi assassinada quando saiu de casa para fazer um curso profissionalizante
Danielly foi parcialmente degolada

Por volta das 6:30 da terça-feira (25), uma adolescente foi vítima de um crime brutal em Caruaru. Danielly Josefa da Silva, de apenas 14 anos de idade, foi morta com duas violentas facadas no pescoço, na Rua Catende, no Loteamento Demóstenes Veras, nas imediações da Funase. Ela morava na Rua da Paz, no Loteamento Novo Mundo, também próximo a Funase.
Pai da adolescente disse que não permitiu a jovem namorar e o rapaz não teria gostado de ter sido contrariado

O pai da vítima, Gersino Joaquim, disse que ela era muito estudiosa, que cursava o 9º ano na Escoa Tereza Nelma, no bairro Maria Auxiliadora e todas as terças-feiras saia de casa as 6h e 20min da manhã para ir a um curso de computação próximo ao Grande Hotel e foi morta quando se dirigia a pé até a casa de uma prima que ia com ela para esse curso.
O pai da vítima afirmou que morava no Sítio Baixio de Itaúna, na zona rural de Caruaru, onde residia com a mãe da menor e a outra filha de 13 anos, mas devido a uma depressão que a esposa teve, se mudaram para a cidade, há dois anos. Indagado se a filha já teve algum desentendimento com alguém, ele falou que foi procurado por um rapaz que queria namorá-la, mas ele não permitiu o namoro dos dois, e que o rapaz não gostou de ser contrariado.
O celular da vítima não foi levado. A polícia descarta a possibilidade de latrocínio

O perito criminal, Dr. Cleomacio Miguel, informou que a jovem foi parcialmente degolada, que tomou dois violentos golpes de faca-peixeira em seu pescoço e que pela violência a intenção do algoz não era de lesioná-la e sim de matá-la. Ainda segundo o perito, a garota tomou o primeiro golpe e caiu, nisso o assassino aproveitou que ela estava caída e desferiu o golpe fatal.
Delegada que está a frente do caso

A delegada da 19ª Delegacia de Homicídios, Dra. Sérvulla Waleska, praticamente descartou a hipótese de latrocínio, pois o celular e os demais pertences não foram levados pelo assassino, inclusive falou que um adolescente de 17 anos foi apreendido pela Polícia Militar, que é o mesmo que teria ido pedir a jovem em namoro e foi contrariado pelo pai dela. No entanto o rapaz nega qualquer participação no crime. Após ser ouvido na 19ª Delegacia de Homicídios ele foi liberado.
Simulacro foi encontrado na casa do suspeito 

Já durante a noite o Sargento Valter e os soldados Feliciano e Hirakawa da ROCAM, apreenderam um menor de 16 anos, que foi abordado na frente de casa fumando maconha e foi encontrado um simulacro de arma de fogo embaixo de sua cama.

Os dois menores que foram apreendidos já namoraram a vítima e não há evidências quanto ao de 17 anos que foi detido pela manhã, porém, esse outro de 16 anos entrou em várias contradições. Ele será ouvido na 19ª Delegacia de Homicídios que está investigando o caso.
Do Estação Notícias / Adielson Galvão

Nenhum comentário:

Postar um comentário