quinta-feira, 27 de outubro de 2016

Professores denunciam dificuldades enfrentadas em Escola Municipal de São Domingos

Na manhã desta quinta-feira (27) alguns professores da Escola Municipal de São Domingos, distrito de Brejo da Madre de Deus, procuraram a equipe do blog do Ney Lima para fazer uma denúncia em relação a alguns problemas que ocorrem na instituição.

Segundo um dos docentes, Thiago Henrique, existem duas reformas em fases de lentidões que ocorrem desde o mês de agosto do ano passado, entre as dificuldades, o mesmo pontua que foram colocados ar-condicionado em algumas salas, porém a parte elétrica não suportou e os aparelhos não estão mais funcionando.

“A nossa escola se encontra há algum tempo em processo de reformas, estamos enfrentando inúmeras dificuldades, já procuramos a prefeitura, secretaria de educação, e há algum tempo foram feitas várias promessas, mas nada de resolver. As salas foram preparadas para usar ar-condicionado e eles começaram a funcionar no começo do ano, mas a gestão do município depois percebeu que a energia não daria conta do ar-condicionado, então pararam de funcionar” – completou.

Ainda de acordo com o professor, a escola conta com a necessidade da implantação de uma subestação dentro da escola e que foi prometida para o último mês de julho.
“Em abril deste ano, nós tivemos uma reunião com o subprefeito de São Domingos e ele nos informou que, em 90 dias a subestação estaria pronta, mas nada foi concretizado. Depois foram colocados os ventiladores nas salas que são projetadas para receber ar-condicionado, que depois acabou também se quebrando e então passamos a conviver com o calor insuportável” – frisou.

Um dos fatores relatado pelo professor é que, as reformas estão sendo realizadas com as presenças dos alunos no interior do colégio, que estudam nos três turnos e que conta ao todo com mais de 120 alunos do município e outros mais 400 da rede estadual, sendo eles do fundamental I, II e EJA.

Thiago Henrique afirmou que não há diálogos entre os docentes e a secretária de educação do município.

“O diálogo que nós temos é apenas com a direção da escola, porque se dependesse da secretária é sem acordo” – falou o professor.
Os professores ressaltaram que os banheiros dos alunos são os mesmos utilizados pelos professores. Os alunos e professores convivem diariamente com quadros soltos e sobre cadeiras que são usadas como suporte, fiações soltas, sem interruptores, pouca iluminação, alguns banheiros fechados, descargas quebradas e caixas de contadores de energia abertas.

Thiago Henrique aproveitou para convidar os pais dos alunos para comparecerem na escola e verificarem a real situação dos problemas.
“Gostaríamos que os pais comparecessem na escola e para ver as condições em que os alunos estão estudando” – finalizou.
Do Estação Notícias Fonte: Ney Lima

Nenhum comentário:

Postar um comentário