segunda-feira, 9 de maio de 2016

Mãe desesperada afirma que sua filha foi esquecida e ficou passando mal dentro de ambulância em frente ao HRA em Caruaru. Enfermeiro chefe disse que se houve alguma falha não foi da UPA do Brejo

Cristina está em Brejo e sua filha em Caruaru com pneumonia

A comerciante Ana Cristina do Nascimento está se recuperando em casa de uma cirurgia e também está enfrentando problemas de saúde com sua filha de 11 anos que tem necessidades especiais.

Segundo a mãe, a criança estava com cansaço e deu entrada no ultimo sábado (07) na Unidade de Pronto Atendimento Mestre Camarão em Brejo da Madre de Deus. Já no início da tarde desta segunda-feira (09), a menina foi levada para fazer exames médicos em uma UPA na cidade de Caruaru. Após ter feito os exames ela ficou na ambulância em frente ao Hospital Regional do Agreste (HRA) aguardando outro paciente do Brejo da Madre de Deus ser atendido, para que só depois retornasse. A mãe ficou desesperada já que o exame constatou que a menina está com pneumonia.

“Desde as 2 horas da tarde que a menina está liberada e não a trouxeram, foi constatado que ela está com pneumonia e está sem medicação, sentindo fortes dores. Pedi que alguém aqui na UPA mandasse uma ambulância para busca-la mas não fomos atendidos. Ela ficou lá dentro de uma ambulância esperando um homem passar pelo médico no Regional e não sabemos que hora ela vem. Estou desesperada porque já anoiteceu e tanto que pedimos e não fomos atendidos, ela ficou abandonada. Só fizeram alguma coisa quando falei com um policial e o mesmo conversou com eles”, disse Cristina.

Alex Duarte é o enfermeiro chefe plantonista da UPA em Brejo da Madre de Deus e falou com a nossa reportagem sobre o ocorrido.
Alex Duarte é enfermeiro chefe do plantão da UPA do Brejo

“Na manhã de hoje tivemos três transferências de pessoas que sofreram acidente de moto e estavam em um quadro grave, além deles tivemos também a transferência de uma gestante e dessa criança que a família está se queixando que estaria passando mal em frente ao Hospital Regional do Agreste. O que achei estranho é que ninguém entrou em contato comigo logo cedo para informar que a criança estaria passando mal. Creio que a família se desesperou devido à espera do outro paciente. É impossível ter uma ambulância para cada paciente que recebe alta. Infelizmente tem que aguardar", disse.

Sobre a criança ter passado mal o enfermeiro disse não ter sido comunicado antes e achou estranho a UPA e o HRA não ter agido no caso.

"Se a criança não estivesse bem, creio que a UPA não teria liberado, pois já vi casos de paciente ficarem lá mais de 24hs aguardando uma definição. Também não entendi porque não deram entrada no HRA já que estavam na porta. Se eu tivesse sido comunicado logo cedo de que ela não estaria bem, teria tomado a mesma atitude que tomei agora a pouco quando falei com médica de plantão e a mesma ligou solicitando uma senha para transferi-la. A senha saiu para o Hospital Mestre Vitalino, coisa que a UPA de Caruaru ou o Hospital Regional do Agreste poderia ter feito. Acredito que faltou comunicação. Estamos aqui para ajudar e não para atrapalhar”, concluiu Alex.

Não se sabe ainda se a criança após ser atendida no Hospital Mestre Vitalino será liberada rapidamente ou ficará internada fazendo tratamento.

Do Estação Notícias

Nenhum comentário:

Postar um comentário