terça-feira, 15 de março de 2016

Aberta a maior via de escalada nas serras do Brejo da Madre de Deus

Serra do Ponto

No início desse mês de março foi concluída a conquista da maior via de escalada de Brejo da Madre de Deus no Agreste de Pernambuco e foi batizada de “Lutar Sempre, Desistir Jamais”. A via fica na Serra do Ponto e foi aberta pelos escaladores locais Silas, Júnior e Zé do Ovo, com ajuda do Leonardo Xavier de Recife-PE e do Rômulo Araújo, de João Pessoa-PB.

Os escaladores comentam o passo a passo para realizar esta grande conquista:
A primeira oportunidade que tive, aproveitei e fui repetir a via, pra poder disponibilizar o croqui e colocar o livro de cume lá em cima, além de reunir o máximo de informações sobre a escalada pra poder compartilhar com quem quiser repetir a via. O parceiro pra essa escalada foi o Higor, também escalador local de Brejo.

Acordamos cedo e às 4h40 saímos do abrigo a pé e caminhamos cerca de 50 minutos até a base da via, ou seja, indo de carro seria no máximo 30 minutos de caminhada.


Acesso: Estacionar o carro no terreno ao lado do bar "Encontro das Serras", mesmo estacionamento de quem vai pra Pedra da Bicuda, seguir pela estrada até passar pelo rio seco, entrar na primeira casa a esquerda, após pedir licença aos moradores, pegue a direita logo ao lado da casa, acessando os lajedos, siga levemente pra esquerda, passando por um bloco de quase 2m, em seguida por um boulder de uns 3 metros, continue pelos lajetos até a entrada da trilha da "garganta", ao entrar na trilha (após os lajedos) contorne pela direita o primeiro bloco de pedra grande (mais de 4 metros) e siga pra esquerda, já em direção à pedra, por uma trilha relativamente aberta, sinalizada com fitas e posteriormente com tótens de pedra.

O início da via é fácil de identificar, é possível ver as chapas da primeira enfiada a partir do chão.
Começamos a escalar às 5h40, comecei guiando e seguimos revezando as guiadas até o cume, não escalamos em simultâneo em nenhum momento, pois fomos desenhando o croqui e medindo o tamanho as enfiadas, entretanto, a escalada propriamente dita desenrolou-se rapidamente de modo geral. gastamos 1h20 até o cume, onde colocamos o livro embaixo de uma pedra, ao lado da parada. Recomendo que uma cordada que tenha segurança para o grau da via escale em simultâneo, a via é propícia para isso e pode te poupar horas de sol na cabeça.
Quando chegamos ao cume, às 7h, o sol apareceu. Então a estratégia é começar o mais cedo possível, de preferência estar escalando no nascer do sol e escalar em simultâneo o máximo possível pra evitar ficar muito tempo exposto, pois a pedra é preta e retém muito calor, imagino como deve ter sido quente conquistar essa via!

A última parada está com duas chapas simples, abandonamos cordeletes, mas Silas disse que em breve vai lá colocar um mosquetão de aço pra não precisar mais abandonar nada.

Fizemos a via com uma corda de 60 metros, o que nos custou 14 rapéis, que duraram mais 1h20 até a base, talvez tivéssemos demorado mais com duas cordas, boa parte da via não tem lugar pra corda prender, mais uma ou outra enfiada é diagonal e tem mato em volta.
A exposição peculiar que coloquei, E2+ tenta expressar o seguinte: A via possui boa proteção de modo geral, regular, e sempre se faz os cruxs após costurar um grampo, lá pra cima, quando a via fica bem mais fácil, existem alguns esticões de 30 metros, mas são em trechos que são praticamente caminhada, muito positivo. Seria um E2 em muitos outros lugares, mas preferi colocar um + pra galera subir com mais sangue no zói!

Pra terem uma referência, comparando com o "Rampão", agora a segunda maior via de Brejo, a via da Serra do Ponto é mais fácil, mais bem protegida e mais limpa, além do crux também ser mais fácil. Uma bela escalada com um visual incrível!

Aqui vai o croqui, o traçado da via e minha recomendação: vai lá!!
Do Estação Notícias Fonte: Escalada em Pernambuco

Nenhum comentário:

Postar um comentário