quarta-feira, 23 de setembro de 2015

É da gente! É brejense!

A história é interessante, e que bacana a coincidência! Daí eu fiquei encucado com a Toyota! Já tinha visto algumas modificações semelhantes, mas nunca nesse exato formato. Fuçando na web, encontrei num fórum um excelente e detalhado texto, de autoria de João Paulo Lima:

"Os jipes, mais conhecidos como Toyota Bandeirante, são na verdade característicos do Agreste pernambucano. Surgiram da necessidade local de ter um veículo de tração que pudesse se locomover pelas estradas esburacadas e cheias de lama da região. São o principal meio de transporte do Polo de Confecções do Agreste.

Seguindo pela PE-90, começam a ser vistos a partir de Limoeiro e intensificam-se em João Alfredo, Surubim, Toritama, Santa Cruz do Capibaribe, Brejo da Madre de Deus e Caruaru.

Os primeiros foram fabricados em Brejo da Madre de Deus, conhecida como Capital Nacional do Toyota. Lá os primeiros jipes curtos começaram a ser alongados, ou seja, aumentados em oficinas locais, para carregar passageiros e produtos como tecidos, feiras, verduras, etc. Devido a sua boa adaptação, começaram a ser comercializados em grande escala na região, tornando-se atualmente tão populares e caros quanto veículos de passeio de grandes fábricas nacionais.

Invenção "made in Pernambuco", os chassis são esticados em um metro e a capacidade original passa de 5 para 12 passageiros, enquanto o volume de carga é ampliado em até uma tonelada. Chegam a custar uma média de 20 a 60 mil reais dependendo do ano, do tipo de motor e do modelo, sendo chamados de 'Limousine do Agreste'.

Além de carregar passageiros, também são muito utilizados pelas prefeituras para o transporte de alunos de regiões rurais e de difícil acesso, o que seria impossível para ônibus e vans em períodos chuvosos.

Podemos dizer que o Toyota tornou-se um meio de transporte que faz parte da cultura do semi-árido brasileiro, fiel ao perfil da sua população: forte e guerreira. De acordo com dados do Detran-PE, em 2005 já existiam mais de 7.000 veículos desse tipo circulando em Pernambuco.

É uma pena que tal transporte seja tão discriminado pela autoridades, que esquecem que os mesmos são o sustento de milhares de famílias do interior, além de ser o único meio de transporte de boa parte da população interiorana, carente de políticas públicas."

O Bandeirante da foto acima foi flagrado em Lençóis - BA, mas tem exatamente as características dessas "limousines" pernambucanas.

Do Estação Notícias Contribuição do Alberto Barreto
Imagem (Jamilson Lima) Unaí - Mina gerais

Nenhum comentário:

Postar um comentário