terça-feira, 14 de abril de 2015

Documentos indicam que Pedro Correa teria comprado votos em Brejo da Madre de Deus/PE

Com base em documentos apreendidos na 11ª fase da Operação Lava Jato, a Polícia Federal vai investigar a denúncia de compra de votos por parte do ex-deputado federal Pedro Correa. Ele já está preso em Curitiba por suspeita de ter recebido propina.

O ex-deputado federal Pedro Correa, do PP, foi transferido de Pernambuco sem algemas e escoltado por policiais federais em um voo comercial.

Ele saiu da prisão onde cumpria pena em regime semi-aberto por corrupção e lavagem de dinheiro no mensalão do PT para ocupar uma cela na carceragem da Polícia Federal, em Curitiba.

De acordo com as investigações, Pedro Correa recebia mesadas do doleiro Alberto Youssef e do ex-diretor da Petrobras, Paulo Roberto Costa.

Um assessor apontado como laranja do ex-deputado também está preso em Curitiba. Outras pessoas ligadas ao ex-deputado, como parentes e funcionários, foram levados para prestar depoimento.

Entre elas, um ex-empregado de um haras de Pedro Correa. Documentos que estavam com o funcionário e foram apreendidos levantam a suspeita de compra de votos em uma campanha no interior de Pernambuco.

No depoimento, Jonas Aurélio de Lima Leite contou que os documentos se referem a comprovantes de compras de votos, realizadas por Pedro Correa em campanhas eleitorais.
São recibos de contas de energia, de água, pagamentos de combustíveis, peças de veículos ecompra de materiais de construção.

Segundo Jonas, as compras de votos foram feitas na cidade de Brejo da Madre de Deus (PE). Ele diz que os eleitores procuravam Pedro Correa ou o próprio deputado oferecia os pagamentos, que eram feitos pela sua equipe política.
Pedro Correa ainda será interrogado pela Polícia Federal. O advogado dele negou que Correa tenha comprado votos.

Vele destacar que a filha de Pedro Correia, Clarice Correia, é a vice prefeita de Brejo da Madre de Deus e foi cassada junto com o prefeito José Edson e Sousa por abuso de poder político e econômico. Edson e Clarice estão comandando a prefeitura de Brejo da Madre de Deus graças a uma liminar concedida pelo Ministro João Otávio de Noronha. A situação do Brejo da Madre de Deus deverá ser decidida quando o pleno do Superior Tribunal Eleitoral (TSE) julgar o caso.

 Pedro Correa já está preso na sede da Polícia Federal em Curitiba.


Do Estação Notícias Fonte: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário