segunda-feira, 2 de março de 2015

Tromba-d’água na orla do Grande Recife assusta banhistas

Um fenômeno meteorológico assustou banhistas que estavam na orla de Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife, na tarde deste domingo (1º). De acordo com a meteorologista Edvânia Santos, da Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac), o fenômeno se trata de uma tromba-d’água. A banhista Talitha Sampaio estava na praia de Candeias e registrou a passagem da ventania, que veio do mar em direção ao continente.

"A gente tem dois sistemas atuando nesse momento aqui no estado, a Zona de Convergência Intertropical (ZCIP), que vem do oceano trazendo umidade, e o Vórtice Ciclônico de Altos Níveis, que já estava no estado. Os dois trazem umidade e nuvens mais densas. Isso pode ter contribuído para a ocorrência do fenômeno, pois geram ventos fortes. Pelos vídeos que vi, se trata de uma tromba-d’água", explicou meteorologista.
A microempresária Talitha Sampaio contou que o fenômeno ocorreu por volta das 13h. Ela estava na praia quando percebeu "um pequeno tornado em alto-mar", vindo na direção da orla. "Eu estava em Jaboatão, olhando sentido Recife, e havia uma nuvem toda escura. De repente, clareou e as nuvens vieram para cá. Na altura de Piedade, tinha uma nuvem muito pesada e parecia um redemoinho dentro do mar vindo do céu. Vi de longe o vento passando pela areia e pelos prédios. Eu me arrepiei toda", afirmou Talitha.

O médico Arthur Tavares estava na Praia de Boa Viagem, no Recife, e também avistou o fenômeno. "Dava para enxergar de onde eu estava. O tempo estava bem fechado e começou a descer aquela tromba-d'água até tocar o mar e veio vindo para a orla. Chamou a atenção de todo mundo, ninguém sabia o que ia acontecer quando chegasse à areia, se era uma tromba-d'água mesmo ou um tornado. Desapareceu quando chegou à areia", relatou.

A Agência Pernambucana de Águas e Clima ainda informou que vai analisar as imagens para estudar a ocorrência. "Recebi um vídeo e vi que dessa nuvem sai um cone que vai até a superfície do mar, o que a gente entende ser uma tromba-d’água de pequena escala. Como é um fenômeno localizado  não há como prever, é muito pontual", acrescentou Edvânia Santos.

Do Estação Notícias Fonte: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário